Prefeitura intensifica ações de combate à Dengue; equipes de endemias atuam com ações estratégicas


Em meio à série de medidas adotadas no enfrentamento ao novo coronavírus, a Prefeitura, através da Secretaria Municipal de Saúde (SESAU), intensifica também as ações estratégicas de combate à Dengue.

A equipe atua em esquema especial para fiscalização de terrenos baldios, e ações com bombas motorizadas para a pulverização espacial de inseticida são realizadas em logradouros adjacentes às áreas onde foram registrados casos de arboviroses.

Foto: Divulgação/SESAU

Na última semana, o trabalho espacial foi realizado na região do 21 de Setembro e no Barreiro, onde os profissionais continuam com bombas motorizadas a partir desta segunda-feira (30).

“Não é porque a COVID-19 está aí que vamos parar todas e quaisquer ações. É preciso que as pessoas se atentem e não descuidem para evitar o acúmulo de materiais que possam se tornar criadouros do mosquito, que transmite não só a Dengue, mas também a Chikungunya e Zika. Mais do que nunca, pedimos aos moradores que cuidem dos seus quintais, eliminando focos de água parada” destacou a coordenadora de endemias, Telma Pio, que salientou que um cuidado não deve excluir o outro. “Devemos adotar as medidas preventivas para o enfrentamento ao novo coronavírus, sim. A conscientização é fundamental e o município, as equipes de Vigilância, têm promovido importantes ações no combate à COVID-19. Temos agido também com responsabilidade com relação às arboviroses”, destacou.

Segundo a secretária municipal de saúde, Rosania Rabelo, os profissionais do setor de endemias trabalham com equipamento de segurança e seguem a normas técnicas na pulverização. Estratégias também estão sendo adotadas para o trabalho de bloqueio nos bairros, durante este período, e a Secretaria de Saúde informou que a ação dos profissionais em campo, com o equipamento, é realizada por via aérea, sem o contato direto com a população. Os equipamentos são 100% higienizados com álcool 70.

Foto: Divulgação/SESAU

O 1º Levantamento Rápido de Índice de Infestação pelo Aedes aegypti (LIRAa) de 2020, realizado em fevereiro, mostrou que Alagoinhas se manteve fora da zona vermelha de alto risco, com 2,5%, revelando situação de alerta e chamando a atenção para a importância do combate ao mosquito.