Momento de Reflexão no Portal Pauta Livre – ” A LÍNGUA ” – 27/11/2017


 

 


A LÍNGUA

 

 
Um nobre senhor mandou um dia o seu criado ao açougue, dizendo-lhe:
- Traga-me o melhor bocado que lá encontrastes.

Para atender fielmente ao pedido de seu amo, o servo trouxe-lhe uma língua. 
O nobre senhor mandou que as criadas preparassem aquela língua, e assim se 
deliciou com o estranho e apetitoso bocado.

Dias depois, o senhor chamou novamente o servo e recomendou-lhe:
- Traga-me agora, do mesmo açougue, o bocado mais desprezível que 
encontrares.

O criado foi depressa, pensou, e trouxe mais uma língua.

Tomado de admiração, o seu senhor indagou-lhe:
- Que significa isso: pedi o melhor bocado e me trouxestes uma língua; depois 
pedi o pior bocado e me trouxestes também uma língua?

Então o servo, que era sumamente sábio, explicou-lhe:
- Não me enganei, senhor. É isso mesmo: a língua é, ao mesmo tempo, tudo o que 
há de melhor e tudo o que há de pior no mundo. Pode causar os melhores bens 
na boca de uma pessoa boa e pode causar os maiores males na boca de uma 
pessoa má.

Momento de Reflexão no Portal Pauta Livre – ” A IMPORTÂNCIA DO PERDÃO ” – 24/11/2017


A IMPORTÂNCIA DO PERDÃO


O pequeno Zeca entra em casa, após a aula, batendo forte os seus pés no assoalho da casa. Seu pai, que estava indo para o quintal fazer alguns serviços na horta, ao ver aquilo chama o menino para uma conversa.

Zeca, de oito anos de idade, o acompanha desconfiado. Antes que seu pai dissesse alguma coisa, fala irritado:

– Pai estou com muita raiva. O Juca não deveria ter feito comigo. Desejo tudo de ruim para ele.

Seu pai, um homem simples mas cheio de sabedoria, escuta, calmamente, o filho que continua a reclamar:

– O Juca me humilhou na frente dos meus amigos. Não aceito. Gostaria que ele ficasse doente sem poder ir à escola.

O pai escuta tudo calado enquanto caminha até um abrigo onde guardava um saco cheio de carvão. Levou o saco até o fundo do quintal e o menino o
acompanhou, calado.

Zeca vê o saco ser aberto e antes mesmo que ele pudesse fazer uma pergunta, o pai lhe propõe algo:

– Filho, faz de conta que aquela camisa branquinha que está secando no varal é o seu amiguinho Juca e cada pedaço de carvão é um mau pensamento seu, endereçado a ele. Quero que você jogue todo o carvão do saco na camisa, até o último pedaço. Depois eu volto para ver como ficou.

O menino achou que seria uma brincadeira divertida e pôs mãos à obra. O varal com a camisa estava longe do menino e poucos pedaços acertavam o alvo.

Uma hora se passou e o menino terminou a tarefa. O pai que espiava tudo de longe, se aproxima do menino e lhe pergunta:

– Filho como está se sentindo agora?

– Estou cansado mas estou alegre porque acertei muitos pedaços de carvão na camisa.

O pai olha para o menino, que fica sem entender a razão daquela brincadeira, e carinhoso lhe fala:

– Venha comigo até o meu quarto, quero lhe mostrar uma coisa.

O filho acompanha o pai até o quarto e é colocado na frente de um grande espelho onde pode ver seu corpo todo. Que susto! Só se conseguia enxergar seus dentes e os olhinhos.

O pai, então, lhe diz ternamente:

– Filho, você viu que a camisa quase não se sujou; mas, olhe só para você. O mau que desejamos aos outros é como o que lhe aconteceu. Por mais que possamos atrapalhar a vida de alguém com nossos pensamentos, a borra, os resíduos, a fuligem ficam sempre em nós mesmos.

 

 


Momento de Reflexão no Portal Pauta Livre – ” SENSIBILIDADE ” – 23/11/2017


 

SENSIBILIDADE

 

 
Há alguns anos atrás, nas Olimpíadas Especiais de Seattle, nove participantes, 
todos com deficiência mental ou física, alinharam-se para a largada da corrida 
dos 100 metros rasos.

Ao sinal, todos partiram, não exatamente em disparada, mas com vontade de dar 
o melhor de si,  terminar a corrida e ganhar.  Todos, com exceção de um garoto, 
que  tropeçou no asfalto, caiu rolando e começou a chorar.

Os outros oito ouviram o choro. Diminuíram o passo e olharam para trás. Então 
eles viraram e voltaram. Todos eles.

Uma das meninas, com Síndrome de Down, ajoelhou, deu um beijo no garoto e 
disse: "Pronto, agora vai sarar".

E todos os nove competidores deram os braços e andaram juntos até a linha de 
chegada.

O estádio inteiro levantou e os aplausos duraram muitos minutos. E as pessoas 
que estavam ali, naquele dia, continuam repetindo essa história até hoje.

Talvez os atletas fossem deficientes mentais... Mas, com certeza, não eram 
deficientes da sensibilidade... Por que?  Porque, lá no fundo, todos nós sabemos 
que o que importa nesta vida é mais do que ganhar sozinho.

O que importa nesta vida é ajudar os outros a vencer,  mesmo que isso 
signifique diminuir o passo e mudar de curso.

Momento de Reflexão no Portal Pauta Livre – ” O ECO E A VIDA ” – 22/11/2017


 

O ECO E A VIDA

 

 
Um filho e seu pai caminhavam pelas montanhas. 
De repente seu filho cai, machuca e grita:
- Aaaii !!
Para sua surpresa escuta a voz se repetir, 
em algum lugar da montanha:
- Aaaii !!
Curioso, pergunta:
- Quem é você ??
Recebe como resposta:
- Quem é você ??
Contrariado, grita:
- Seu covarde !!
Escuta como resposta:
- Seu covarde !!
Olha para o pai e pergunta aflito:
- O que é isso ?
O pai sorri e fala:
- Meu filho preste atenção.
Então o pai grita em direção a montanha:
- Eu admiro você !
A voz responde:
- Eu admiro você !
De novo o homem grita:
- Você é um campeão !
A voz responde:
- Você é um campeão !
O menino fica espantado, não entende.

Então o pai explica:
- As pessoas chamam isso de ECO, mas na verdade 
isso é a vida. Ela lhe dá de volta tudo o que 
você diz ou faz. Nossa vida é simplesmente o 
reflexo de nossas ações. 
Se você quer mais amor no mundo, crie mais amor 
no seu coração. Se você quer mais competência da 
sua equipe, desenvolva a sua competência.
O mundo é somente a prova da nossa capacidade. 
Tanto no plano pessoal quanto no profissional, 
a vida vai lhe dar de volta o que você deu a ela.

Sua vida não é uma COINCIDÊNCIA, 
                 é CONSEQUÊNCIA de você. 


Momento de Reflexão no Portal Pauta Livre – ” TUDO O QUE DEUS FAZ É BOM ! ” – 21/11/2017



TUDO O QUE DEUS FAZ É BOM!

 
Há muito tempo, num Reino distante, havia um Rei que não acreditava 
na bondade de Deus. Tinha, porém, um súdito que sempre lhe lembrava 
dessa verdade. Em todas situações dizia:
-- Meu Rei, não desanime, porque Deus é bom!"

Um dia, o Rei saiu para caçar juntamente com seu súdito, e uma fera 
da floresta atacou o Rei. O súdito conseguiu matar o animal, porém 
não evitou que sua Majestade perdesse o dedo mínimo da mão direita.

O Rei, furioso pelo que havia acontecido, e sem mostrar agradecimento 
por ter sua vida salva pelos esforços de seu servo, perguntou a este: 
-- E agora, o que você me diz? Deus é bom? Se Deus fosse bom eu não 
teria sido atacado, e não teria perdido o meu dedo. 
 
O servo respondeu: 
 
-- Meu Rei, apesar de todas essas coisas, somente posso dizer-lhe que 
Deus é bom, e que mesmo isso, perder um dedo, é para seu bem!

O Rei, indignado com a resposta do súdito, mandou que fosse preso na 
cela mais escura e mais fétida do calabouço. 

Após algum tempo, o Rei saiu novamente para caçar e aconteceu dele 
ser atacado, desta vez por uma tribo de índios que vivia na selva. 
Estes índios eram temidos por todos, pois sabia-se que faziam 
sacrifícios humanos para seus deuses.

Mal prenderam o Rei, passaram a preparar, cheios de júbilo, o ritual 
do sacrifício. Quando já estava tudo pronto, e o Rei já estava diante 
do altar, o sacerdote indígena, ao examinar a vitima, observou furioso:

-- Este homem não pode ser sacrificado, pois é defeituoso! Falta-lhe um 
dedo!"
 
E o Rei foi libertado. Ao voltar para o palácio, muito alegre e aliviado, 
libertou seu súdito e pediu que viesse em sua presença. Ao ver o servo, 
abraçou-o afetuosamente dizendo-lhe:
 
-- Meu Caro, Deus foi realmente bom comigo! Você já deve estar sabendo 
que escapei da morte justamente porque não tinha um dos dedos. Mas 
ainda tenho em meu coração uma grande duvida:
Se Deus é tão bom, por que permitiu que você fosse preso da maneira 
como foi? Logo você, que tanto o defendeu!? 

O servo sorriu e disse:
-- Meu Rei, se eu estivesse junto contigo nessa caçada, certamente seria 
sacrificado em teu lugar, pois não me falta dedo algum! Portanto, 
lembre-se sempre : TUDO O QUE DEUS FAZ É BOM !