Ex-BBB Rodrigo Mussi abre os olhos pela 1ª vez, diz irmão

Mussi afirmou que a família aguarda a extubação do ex-BBB nos próximos dias. Foto: reprodução Por: Metro1 O advogado Diogo Mussi, irmão de Rodrigo Mussi, disse nesta terça-feira (12) que o ex-BBB abriu os olhos pela primeira vez e tentou se comunicar com as mãos e rosto. “Ele abriu os olhos. Dormia e acordava. Está mais lúcido … Leia Mais


Dólar cai pela terceira vez seguida e fecha em R$ 4,67

Com o desempenho de hoje, moeda acumula baixa de 1,76% Foto: Agência Brasil / Arquivo Por: Metro1 Os juros altos no Brasil seguraram as tensões no mercado externo e fizeram o dólar cair pela terceira vez seguida. A bolsa de valores teve um dia mais tenso e voltou a fechar em baixa, influenciada pelas bolsas norte-americanas perto … Leia Mais


Número de feridos no metrô de Nova York sobe para 23

Incidente ocorreu em estação na região do Brooklyn, e ao menos 10 foram baleados; polícia não investiga terrorismo Foto: Reprodução Facebook Por: Metro1 O ataque a tiros no metrô de Nova York deixou ao menos 23 pessoas feridas na manhã desta terça-feira (12). Dez delas foram baleadas e outras 13 também ficaram feridas. A ação ocorreu em uma … Leia Mais




Seleção Brasileira vence amistoso contra a Hungria: 3 a 1


O último amistoso preparatório para a Copa América será contra a Suécia, dia 28 de junho, em Estocolmo

Seleção Brasileira vence amistoso contra a Hungria: 3 a 1

Foto: Lucas Figueiredo/CBF

Por: Metro1

A seleção brasileira não encontrou dificuldades para passar pela Hungria no penúltimo amistoso de preparação para a Copa América Feminina, marcada para julho, na Colômbia. A equipe treinada por Pia Sundhage venceu por 3 a 1, em San Pedro del Pinatar, na Espanha.

Os gols foram marcados por Gabi Nunes, duas vezes, e Bia Zaneratto. Csiki descontou para as húngaras.

A equipe treinada por Pia Sundhage vinha de um empate difícil com a Espanha. A diferença de qualidade entre os times adversários ficou evidente.

O Brasil, nono no ranking da Fifa, ficou no 1 a 1 com as espanholas, sétima melhor seleção do mundo, e passou sem problemas pela Hungria, apenas a 41ª da Fifa.


Hipertensão é a doença que mais atinge brasileiros, diz pesquisa


No total, foram analisados 11.390 pacientes, sendo 8.264 mulheres e 3.126 homens entre 0 e mais de 50 anos

Hipertensão é a doença que mais atinge brasileiros, diz pesquisa

Foto: Divulgação/ SESA/ Governo do Paraná

Por: Metro1

Gestora de pacientes que avalia e monitora a saúde de mais de 11.000 pacientes pelo país, a TechBalance fez uma pesquisa com esse grupo e descobriu que a hipertensão é a doença que mais atinge brasileiros, com índice de 14%.

No total, foram analisados 11.390 pacientes, sendo 8.264 mulheres e 3.126 homens entre 0 e mais de 50 anos.

Seguindo a lista de patologias que mais impactam a saúde do brasileiro, o segundo lugar é ocupado pela artrose, doença degenerativa que afeta as cartilagens do corpo, com 9%. Diabetes (6%), lesões ortopédicas (6%) e alterações na visão (6%) fecham o Top 5.


Bolsonaro diz que troca no comando da Petrobras foi por “alguém mais profissional”


Presidente reforçou que “não apita” nas questões da estatal, mas que acaba saindo como culpado pelas decisões da diretoria

Bolsonaro diz que troca no comando da Petrobras foi por "alguém mais profissional"

Foto: Alan Santos/PR

Por: Metro1

O presidente Jair Bolsonaro afirmou nesta segunda-feira (11) que mudou o comando da Petrobras por “alguém mais profissional” para poder dar “transparência”.

O presidente tem reclamado da comunicação da estatal junto à população e disse que a Petrobras “não fala” e “não usa o seu marketing”.

“Eu indico para o conselho a sua admissão e demissão. Um dos motivos principais é alguém mais profissional lá dentro para poder dar transparência. A Petrobras não usa o seu marketing, ela não fala. O que eu falei para vocês aqui era pra a Petrobras estar falando”, disse o presidente em entrevista ao “Irmãos Dias Podcast”.

O presidente reforçou que “não apita” nas questões da estatal, mas que acaba saindo como culpado pelas decisões da diretoria. Afirmou que a Petrobras é um “ponto de desgaste enorme”.


Bolsonaro veta Lei Paulo Gustavo, que deveria levar R$ 3,86 bi ao setor cultural


O projeto de lei previa destravar parte dos recursos do Fundo Nacional da Cultura e do Fundo Setorial do Audiovisual, que são fundos públicos voltados para o fomento do setor cultural

Bolsonaro veta Lei Paulo Gustavo, que deveria levar R$ 3,86 bi ao setor cultural

Foto: Reprodução Redes Sociais

Por: Metro1

O presidente Jair Bolsonaro vetou a Lei Paulo Gustavo, aprovada pelo Senado no dia 15 de março. O projeto previa destinar R$ 3,86 bilhões para o setor cultural, com o objetivo de ajudar na recuperação dos impactos da crise causada pela pandemia. Dessa verba, R$ 2,79 bilhões seriam voltados à área audiovisual, enquanto R$ 1,06 bilhão iria para ações emergenciais.

O projeto já havia sido criticado pelo ex-secretário especial de Cultura Mário Frias (PL), que, na época da votação pelo Senado, classificou o texto como “absurdo”.

Na justificativa apresentada pela Secretaria-Geral da Presidência sobre o veto, afirma-se que o texto criaria despesa sem apresentar uma compensação na forma de redução de gastos.

O projeto de lei previa destravar parte dos recursos do Fundo Nacional da Cultura e do Fundo Setorial do Audiovisual, que são fundos públicos voltados para o fomento do setor cultural. Porém, mesmo tendo dinheiro em caixa nesses fundos, parte dele fica represado pela Lei de Responsabilidade Fiscal, que obriga a União a cumprir metas que limitam o déficit.

A ideia da Lei Paulo Gustavo era que esse dinheiro liberado fosse executado por estados e municípios, assim como aconteceu com a Lei Aldir Blanc.

Agora, o Congresso Nacional ainda pode derrubar o veto de Bolsonaro.


Podemos blindou carro de Moro para uso na campanha presidencial


A iniciativa fazia parte do projeto para o ex-juiz, que no último momento da janela partidária decidiu deixar a sigla e se filiar ao União Brasil

Podemos blindou carro de Moro para uso na campanha presidencial

Foto: Agência Brasil

Por: Metro1

O Podemos blindou um carro para que Sergio Moro (União Brasil) utilizasse durante a campanha presidencial. A iniciativa fazia parte do projeto para o ex-juiz, que no último momento da janela partidária decidiu deixar a sigla e se filiar ao União Brasil.

Em cinco meses no Podemos, o partido avalia ter desembolsado cerca de R$ 3 milhões com o ex-juiz. Só de salários mensais foram R$ 22 mil brutos, R$ 210 mil no evento de filiação e R$ 600 mil em uma pesquisa qualitativa de intenção de voto.

A presidente do Podemos, Renata Abreu, disse que o partido ofereceu estrutura e garantia de recursos para a futura campanha.

“Para a surpresa de todos, tanto a Executiva Nacional quanto os parlamentares souberam via imprensa da nova filiação de Moro, sem sequer uma comunicação interna do ex-presidenciável”, disse a deputada.

No União Brasil Moro já vive uma crise. Inicialmente o ex-juiz afirmou que havia desistido provisoriamente da corrida presidencial e seria candidato a deputado federal ou a senador por São Paulo.

Em seguida, recuou da desistência e afirmou que mantinha sua pré-candidatura. Liderança do partido, o ex-prefeito de Salvador, ACM Neto, teve que se mobilizar para dizer que impugnaria sua filiação caso ele insistisse em dizer que poderia concorrer à Presidência.