Brasil vacinou 14 milhões de pessoas contra Covid-19, diz consórcio de imprensa

Na Bahia, 1,2 milhão de pessoas receberam a primeira dose (8,12% da população do estado) Foto : Jefferson Peixoto / Secom Por Adele Robichez    Um total de 14.074.577 pessoas receberam a primeira dose do imunizante contra o coronavírus no Brasil, segundo o balanço da vacinação divulgado na noite de ontem (25) pelo consórcio de veículos de imprensa. … Leia Mais


Butantan desenvolve vacina brasileira contra Covid-19 e quer iniciar testes

O Instituto Butantan desenvolveu uma nova fórmula de vacina contra a Covid-19. A entidade ligada ao Governo de São Paulo pedirá à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para iniciar a testagem. O governador João Doria (PSDB) convocou uma entrevista coletiva para a manhã desta sexta-feira (26), ao lado do diretor do Instituto Butantan, Dimas Covas, para dar … Leia Mais


Alagoinhas já vacinou mais de 12 mil pessoas contra Covid-19

Pioneiro no interior do estado na vacinação contra Covid-19, o município de Alagoinhas teve suas primeiras doses aplicadas em 19 de janeiro, começando pelos idosos que moram em Instituições de Longa Permanência  (173), e seus cuidadores (56) , deficientes institucionalizados (33)  e profissionais de saúde da linha de frente (1258), grupos prioritários das primeiras etapas … Leia Mais


Cátia Raulino é presa pela polícia de Santa Catarina


Polícia cumpriu mandado contra falsa professora de Direito acusada de estelionato e falsificação

[Cátia Raulino é presa pela polícia de Santa Catarina]Foto : Divulgação

Por Matheus Simoni

Acusada de estelionato, falsificação de documento público e falsidade ideológica, a suposta jurista Cátia Raulino foi presa no estado de Santa Catarina, após cumprimento de mandado de prisão expedido pela Justiça depois de um inquérito da 9ª Delegacia Territorial da Boca do Rio, em Salvador. A prisão ocorreu ontem (24). Segundo a Secretaria de Segurança Pública da Bahia (SSP-BA), ela encontra-se custodiada na Diretoria Estadual de Investigações Criminais (Deic) e aguarda transferência para a capital baiana. O inquérito instaurado pela 9ª DT/Boca do Rio foi concluído e encaminhado para a Justiça, em outubro de 2020, com indiciamento da suspeita.

“No cumprimento do mandado de busca e apreensão, descobrimos que ela havia fugido para outro estado. Nas investigações entramos em contato com a Superintendência de Inteligência da Secretaria da Segurança Pública de Santa Catarina, onde ela foi localizada e o mandado de prisão, cumprido”, informou o titular da 9ª DT, delegado Antônio Carlos Magalhães Santos.

Após denúncia do Metro1, Cátia Raulino passou a ser investigada em agosto de 2020, após alunas de um curso de Direito no qual ela era professora a terem denunciado por plágio. Ela alegava ser formada em Direito e possuir mestrado, doutorado e pós-doutorado, mas as universidades nas quais ela diz ter concluído os cursos negam tais formações.

O caso foi revelado em primeira mão pelo Metro1 em agosto do ano passado. Nas redes sociais, Cátia ostentava palestras, cursos e aulas sobre Direito com larga experiência.

Relembre detalhes sobre o caso:

>> Após prazo dado por delegado, Cátia Raulino não apresenta diplomas
>> Advogado processa Cátia Raulino por estelionato e denuncia racismo por universidade
>> Suposta jurista também se passou por representante da Câmara Chinesa de Comércio
>> Acusada de falsa titulação, Cátia Raulino pode ter de pagar indenização a instituições e alunos
>> Cátia Raulino vai depor na quarta-feira, afirma advogado
>> Cátia Raulino não é encontrada por Polícia Civil: ‘Ela evaporou’, diz delegado do caso
>> MP pede abertura de inquérito contra suposta jurista acusada de exercício ilegal e plágio
>> Cátia Raulino: Universidades baianas que contrataram ‘professora’ se esquivam de responsabilidade
>> Acusada de plágio por alunas, suposta jurista coordenou curso e deu aula como doutora em Salvador
>> Caso Cátia Raulino: suposta jurista apresentou ‘diplomas’ a faculdade de Alagoinhas
>> Ministério Público já recebeu seis denúncias contra Cátia Raulino

Fonte: Metro1


‘Ultrapassou o limite do bom senso’, diz Mourão sobre número de mortes no Brasil


Vice presidente defendeu medidas restritivas a serem tomadas por governadores e prefeitos

[‘Ultrapassou o limite do bom senso’, diz Mourão sobre número de mortes no Brasil ]Foto : Antonio Cruz/Agência Brasil

Por Gabriel Amorim

Em uma declaração dada hoje (25) em frente ao Palácio do Planalto, o vice-presidente Hamilton Mourão afirmou que o número de mortes por Covid-19 no Brasil “ultrapassou o limite do bom senso”. A afirmação acontece um dia depois de o Brasil passar da marca de 300 mil óbitos, com média móvel acima de 2 mil mortos por dia.

O vice-presidente  citou o trabalho do Ministério da Saúde, desde a última terça-feira (23) comandado  pelo médico Marcelo Queiroga, para habilitar leitos de UTI, além de comprar insumos e aumentar o ritmo da vacinação. “Agora vamos enfrentar o que está aí e tentar de todas as formas diminuir a quantidade de gente contaminada e, obviamente, o número de óbitos que, pô, já ultrapassou o limite do bom senso”, disse Mourão.

Fonte: Metro1


Campeonato Brasileiro de 2021 vai ter limite para troca de técnicos


Cada time só poderá ter dois treinadores durante a competição

[Campeonato Brasileiro de 2021 vai ter limite para troca de técnicos]Foto : Lucas Figueiredo/CBF

Por Augusto Romeo

O Campeonato Brasileiro de 2021 terá limite para troca de técnicos dentro da competição. Com isso, cada time só poderá ter dois treinadores durante a competição. Além disso, cada técnico só poderá treinar dois times diferentes. Caso uma equipe demita o treinador pela segunda vez, ela só poderá efetivar no cargo um outro profissional que já seja funcionário do clube com no mínimo seis meses de casa.  Entretanto, em ocasiões em que os próprios treinadores pedirem demissão, o número de trocas não será contabilizado para os times.

A proposta foi apresentada aos clubes pelo presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Rogério Caboclo, e a votação foi apertada, com placar de 11 a 9 a favor da aprovação. A medida vale já a partir do Campeonato Brasileiro desse ano e vai limitar a troca de técnicos ao longo de uma mesma edição.

Sobre a ciranda dos professores, estudo realizado em 2020 afirma que Brasileirão lidera troca de técnicos entre as principais ligas do mundo. A pesquisa considerou o intervalo entre 2015 e 2019, e foi baseado na média de treinadores que cada equipe teve no período.

A Série A está prevista para começar no dia 29 de maio e termina no dia 5 de dezembro. A edição de 2020, vencida pelo Flamengo, só terminou no final de fevereiro deste ano, por conta da paralisação pela pandemia da Covid-19.

Fonte: Metro1


Mandetta rebate deboche com ‘falta de ar’ de Bolsonaro e diz que presidente desperta ‘instintos mais primitivos


Ex-ministro da Saúde fala das críticas que membros do governo fazem contra ele: ‘Toda semana eles vêm para o meu lado’

[Mandetta rebate deboche com 'falta de ar' de Bolsonaro e diz que presidente desperta 'instintos mais primitivos']Foto : Metropress

Por Matheus Simoni

Ex-ministro da Saúde, Henrique Mandetta falou sobre as críticas que recebeu do presidente Jair Bolsonaro e de membros do governo pela condução da pandemia de Covid-19 no país. Em entrevista a Mário Kertész hoje (25), durante o Jornal da Bahia no Ar da Rádio Metrópole, ele falou de como soube da imitação feita pelo presidente em uma live, na qual Bolsonaro aparece simulando um paciente com “falta de ar”. Mandetta revelou um drama familiar e comentou que a postura desperta “os instintos mais primitivos” na população.

“Ele tem alguma coisa comigo, não passa uma semana sem me citar. Nesse dia eu fiquei muito impressionado. Ele ficou imitando uma pessoa passando falta de ar. Isso é deboche, cinismo. Perdi meu tio ontem, irmão do meu pai. Sabe o tio que era a alegria da família, aos 78 anos? Ele se vestia de coelho da páscoa para juntar a gurizada. Quando eu penso nele daquele  jeito e depois me vem à minha cabeça aquele presidente imitando uma pessoa com falta de ar… eu não sei o que é que passa, mas os instintos mais primitivos da gente vêm à tona. Tomara que ele se entenda com a justiça divina. Aquilo não pode não”, disse o ex-ministro.

Ele também comentou a fala do ministro da Economia, Paulo Guedes, que o criticou por não ter articulado a compra dos imunizantes contra a Covid-19. Acontece, no entanto, que não haviam vacinas prontas para serem adquiridas pelos países na época em que Mandetta era do Ministério da Saúde. “Paulo Guedes disse outro dia disse que ‘Mandetta deveria ter comprado as vacinas’, numa época que não existia nenhuma vacina. Os caras estavam tentando achar no ratinho. Toda semana eles vêm para o meu lado”, declarou o ex-ministro.

Fonte: Metro1


Integração entre futebol e educação é a chave do UNIRB para se destacar nos gramados


 

Integração entre futebol e educação é a chave do UNIRB para se destacar nos gramados

Foto: Max Haack / Ag. Haack / Bahia Notícias

Com quase três anos de fundação, o UNIRB disputa a elite do Campeonato Baiano pela primeira vez e já incomodou os gigantes Bahia e Vitória, respectivamente, vencendo e empate. Campeão da Série B do Baiano em 2020 e atualmente na briga pelo G-4 com sete pontos, mesma pontuação do Vitória da Conquista, que é o quarto, o reitor e presidente Carlos Joel revelou que a fórmula do sucesso da equipe, cuja sede está sendo construída em Mata do São João, é a integração entre educação e futebol.

O projeto de criação do clube de futebol começou com a necessidade de ampliar o trabalho desenvolvido na rede de faculdades do grupo de ensino, que possui campus nos estados da Bahia, Piauí, Ceará, Alagoas, Rio Grande do Norte, Sergipe e Paraíba. Ele serviria como centro de ensino prático para alguns cursos oferecidos pela instituição, como educação física, fisioterapia, psicologia, nutrição e odontologia.

“Nosso projeto não era um time de futebol nos moldes que existem no mercado. A ideia era sempre fazer uma extensão universitária. O objetivo central do time é ser um instrumento de formação acadêmica. Lá, nós permitimos que os estudantes possam ter toda a parte de pesquisa que vai da preparação física até a preparação psicológica, tanto no ambiente estudantil como no ambiente prático”, explicou em entrevista ao Bahia Notícias.

Foto: Divulgação / UNIRB

No entanto, seguindo a lógica, quanto mais exigente fosse o campeonato disputado pela equipe, mais rico se tornaria o aprendizado dos alunos.

“Nós percebemos que para isso ter resultado era necessário fazer um time profissional que teria maiores exigências do ponto de vista acadêmico e do esforço interno para gerar formação. Essa foi a ideia inicial”, continuou. “Isso tem contribuído de forma significativa para a integração dos estudantes. Nós temos tido permanente acesso dos estudantes dos cursos de educação física, de fisioterapia, de nutrição, de psicologia, de odontologia, no projeto. Eles estão permanentemente atuando em campo e nos bastidores para melhorar a condição física dos atletas, a parte alimentar, psicológica, a saúde bucal”, completou Carlos Joel.

Na elite do futebol baiano cerca de dois anos depois da fundação, o UNIRB segue visando dar passos mais longos e importantes para se consolidar como um grande clube. A diretoria investiu na construção da sede com centro de treinamento e alojamento para os jogadores (lembre aqui). Além disso, a próxima etapa do planejamento inclui a criação das categorias de base para formar novos atletas (leia aqui).

“Hoje, ele busca alternativas de ter um clube de futebol com um ambiente perene”, disse Carlos Joel. “O projeto, além de vitorioso por conseguirmos chegar na primeira divisão em menos de dois anos, estamos tendo uma campanha relativamente razoável jogando o campeonato pela primeira vez. É abaixo do que a gente esperava num primeiro momento, mas dentro de uma perspectiva superior a times que estão há muito mais tempo no ambiente do futebol”, observou.

O UNIRB volta ao gramado no próximo dia 4 de abril, um domingo, às 16h, para visitar a Juazeirense, no Estádio Adauto Moraes.

Foto: Divulgação / UNIRB

TRABALHO DOS ALUNOS COM OS JOGADORES
A superintendente do UNIRB, Regiane Amorim, falou dos benefícios que o projeto de futebol proporciona aos estudantes da rede de ensino. Sediado em Mata de São João e também treinando em alguns momentos em Salvador, o elenco do time tem recebido todos os suportes dos alunos dos campus localizados na capital baiana e nas cidades vizinhas como Feira de Santana e Alagoinhas. 

“O professor da disciplina vai junto com os alunos e aquilo que trabalharam na teoria, vão desenvolver na prática com os atletas. Por exemplo, na nutrição, eles acompanham desde o que o atleta come, o que comeu, quanto comeu, quanto ingeriu de água, vê o desempenho dele e faz um estudo com o próprio atleta. Na fisioterapia, eles acompanham algumas lesões, alguns movimentos que os próprios atletas vão ter e que pode alterar alguma coisa causando lesão. O professor demonstra e eles fazem avaliações nos atletas antes e depois de uma atividade. Então, é algo assim, maravilhoso. Os alunos ficam encantados de ver a coisa funcionar”, falou. “O que é mais legal para os jogadores é que eles não precisam ter o tempo específico de atendimento do nutricionista, do fisioterapeuta, do educador físico, do odontólogo. Os atletas são acompanhados o tempo inteiro, não precisam esperar que tenham uma lesão, que tenham um déficit na nutrição, que tenham um problema odontológico. O aluno já visualiza para capacitá-lo, para que o atleta esteja bem o tempo todo”, completou.

Foto: Divulgação / UNIRB

PRATAS DA CASA NA ESTRUTURA DO CLUBE
Mas o projeto de futebol do UNIRB não abraça apenas os estudantes da rede de ensino. Os egressos das faculdades também fazem parte da estrutura do clube.

“Nós já conseguimos incluir aproximadamente cinco egressos de forma direta nas atividades do time. E estamos também com estudantes atuando de forma permanente como auxiliares técnico, de fisioterapia”, comentou Carlos Joel.

Um deles é Jader Botelho, formado em educação física, especialista em lesões músculo-esqueléticas, além de estar em fase de conclusão do curso de docência do ensino superior. Ele faz parte do projeto desde o início desde o início quando foi convidado no final de 2017. Atualmente, ele atua como supervisor operacional e no registro de atletas no Boletim Informativo Diário (BID) da CBF.

“Na transição de aluno, a gente percebe que a instituição tem um pensamento positivo. O ideal seria que todas instituições pensassem dessa forma, que é criar projetos nas diversas áreas de formação para qualificar os alunos. Como participei do início do projeto, eu busco alunos da própria instituição, dentro do processo, para estagiarem, fazendo seus primeiros contatos profissionais, que é um dos objetivos do projeto da universidade, que é criar um link para que seus alunos e egressos possam participar e se qualificar cada vez mais como profissionais”, afirmou. “Não é porque é meu curso preferido, minha história de carreira, meu primeiro emprego, mas eu digo que ela me proporcionou coisas imensuráveis, tanto na parte de conhecimento, que acho bastante importante. É um curso bastante completo. Temos disciplinas de gestão, marketing esportivo, situação de mercado de trabalho. Isso facilitou para que a gente consiga progredir na carreira. Tudo que tenho hoje, que trago para minha vida profissional, trago dos meus ensinamentos durante meu curso e minhas qualificações. Devemos estar prontos, porque as oportunidades surgirão. Quem não estiver pronto para o mercado de trabalho, infelizmente perde essas oportunidades. Graças a Deus, eu estava preparado no momento que fui convidado para atuar no UNIRB. Hoje, a tendência é progredir cada vez mais”, completou.

Foto: Divulgação / UNIRB

Fonte: bahianoticias